Perquisar Notícias

16.07.2018 | Outros

Dia Mundial da Saúde Ocular: não consultar o oftalmologista pode comprometer a saúde dos olhos

Manter a saúde ocular em dia é tarefa de extrema importância e, muitas vezes, é negligenciado por quem busca ajuda apenas quando surgem problemas oculares. O Dia Mundial da Saúde Ocular é celebrado no próximo dia 10/07, e vale reforçar a relevância de visitar o médico oftalmologista, anualmente, para a prevenção de problemas oculares. No Brasil mais de ¹1,2 milhão de pessoas são cegas (visão corrigida igual ou inferior a 20%), onde se calcula que, aproximadamente, 65% dos brasileiros com alguma dificuldade de enxergar não realiza nenhum acompanhamento oftalmológico anual.  
 
Olho seco acomete milhões de pessoas no mundo todo e é uma das queixas mais frequentes dos pacientes que procuram assistência oftalmológica. Doença do Olho Seco, conhecida também como Síndrome da Disfunção Lacrimal é uma doença multifatorial da superfície ocular caracterizada por instabilidade do filme lacrimal e acompanhada por sintomas oculares. Pacientes do sexo feminino e acima dos 40 anos podem ter maior risco de desenvolver olho seco. Outros fatores associados são: doenças sistêmicas, alergia ocular, uso de lentes de contato, uso de aparelhos digitais, cirurgias oculares, uso de medicações tópicas e uso de medicações sistêmicas, como por exemplo anti-histamínicos, beta bloqueadores, diuréticos, anti-depressivos.
Embora haja portadores assintomáticos (que não apresentam sintomas), a maioria tem como principais sintomas a sensação de olho seco com corpo estranho, queimação, prurido, fotofobia, embaçamento visual e lacrimejamento excessivo, o que pode causar impacto na qualidade de vida. O tratamento é predominantemente sintomático, destacando-se o uso das lágrimas artificiais e orientações médicas. Dependendo da gravidade pode ser necessário o uso de anti-inflamatórios, soro autólogo e medicações de uso sistêmico.
Catarata, Glaucoma e Doenças da Retina estão entre as doenças oculares que podem ser evitadas ou diagnosticadas precocemente se houver acompanhamento periódico com o médico oftalmologista.
O médico oftalmologista, Dr. Cristiano Caixeta (CRM-SP 9.6458), explica que o Glaucoma é uma doença crônica, progressiva e que não tem cura. Porém apresenta controle da doença estabilizando as perdas visuais que o paciente apresenta. “O glaucoma refere-se a um grupo de doenças oculares crônicas que provocam danos no nervo óptico. Em muitos casos, os danos ao nervo óptico resultam de um aumento da pressão intraocular. Nas fases inicias, a doença é silenciosa, sem sintomas, o que retarda seu diagnóstico”.
O Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no Brasil e no mundo. “A perda da visão ocorre inicialmente através da percepção de “pontos cegos” no campo de visão, os quais o paciente não correlaciona com uma alteração definitiva. A percepção da perda do campo visual pelo paciente ocorre nos estágios avançados da doença”, aponta o oftalmologista. Geralmente o tratamento inicial da doença é feito com colírios, podendo-se recorrer ao laser ou cirurgias, conforme recomendação médica, e de acordo com o tipo de glaucoma e estágio da doença.
A Catarata é a principal causa de cegueira reversível e é caracterizada por opacidade do cristalino que atrapalhe a entrada de luz nos olhos, acarretando diminuição da visão. Pode surgir por senilidade, problemas congênitos, traumatismo, defeitos metabólicos ou uso de medicamentos. Os primeiros sintomas são as flutuações da visão, que se torna mais embaçada em determinados momentos. A visão começa a piorar gradualmente. O tratamento cirúrgico é a única opção para recuperação da visão.
Já as Doenças de Retina, como a retinopatia diabética e o edema macular diabético, são regidas pelo descontrole do diabetes e suas consequências. Os tratamentos vão depender de cada caso, podendo ser tratados através de procedimentos a laser e aplicações de medicamentos intraoculares. A melhor forma de prevenir tais disfunções é controlar o diabetes e realizar o acompanhamento anual com o médico para a realização do exame de fundo de olho - essencial para o diagnóstico precoce do distúrbio e acompanhamento. O tratamento ocular depende da fase da doença e tem como objetivo retardar ou frear sua progressão. Entre as opções estão a fotocoagulção à laser, injeção intravítrea de medicação e cirurgia.
De acordo com o oftalmologista, XXXX, a retina é muito importante para os olhos porque é uma das principais estruturas do olho humano, responsável por transformar a imagem em mensagem para o cérebro. “Se o diabetes não estiver sob controle e assim evoluir para a retinopatia diabética este paciente tem de estar regularmente visitando o seu médico oftalmologista, porque na fase inicial a doença não apresenta sintomas (assintomática) e se não for tratada a tempo, os vasos sanguíneos podem se romper, causando hemorragia e podendo levar à perda parcial ou total da visão”.
 
O médico oftalmologista compartilha algumas dicas básicas de como manter a boa saúde dos olhos e que podem ser inseridas na rotina:
 
  • Piscar regularmente
  • Usar um umidificador em casa e no seu local de trabalho
  • Realizar higiene das pálpebras
  • Usar lentes de contato pelo tempo recomendado
  • Usar lubrificantes oculares, eles auxiliam no alívio dos sintomas e lubrificam a superfície do olho
  • Procurar se hidratar ingerindo água com frequência
  • Usar óculos de proteção em situações de risco é essencial para evitar que acidentes aconteçam
  • Não esqueça de proteger seus olhos da radiação ultravioleta
  • O controle cuidadoso do diabetes com uma dieta adequada e medicamentos prescritos pelo endocrinologista
  • Consulte seu oftalmologista periodicamente, ele é o profissional apto a fazer o diagnóstico e o tratamento mais adequado.
Relações Públicas – Allergan

Investor relations: